AMIGOS DO BLOG

Visitantes

Quem sou eu

Minha foto
If you wish to speak with me in English, just leave me a note! Sou advogada por profissão; viajante por hobby. Uma pesquisadora incansável na hora de me mandar para algum lugar, a fim de achar as melhores coisas pelo melhor preço possível. Gosto de moda, de artes, dos livros, de bijouteria à astronomia, de viajar, do conhecido e do desconhecido. Meu voto é sempre pela compaixão, pela generosidade e pela solidariedade!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

A surpresinha de 2016: imposto de 25% sobre o turismo

        Diante de mais uma manobra desesperada do governo, que certamente irá jogar no poço o setor de turismo no Brasil, tenho recebido vários e-mails questionando como ficam os pacotes adquiridos com agências estrangeiras.

     A surpresinha desagradável do ano vai atingir apenas as agências de turismo nacionais (e o consumidor final, que vai ver o imposto embutido no preço).

     Quem usar cartão de crédito internacional para reservar/pagar hotéis e pacotes em sites estrangeiros, não será afetado.

     Copiei a matéria do UOL que esclarece bem o que muda.

     Minha opinião pessoal é que isso é um absurdo. É bitributação. É avacalhar com os empresários do ramo. Nunca usei agências nacionais para viajar, mas nem por isso aprovo a conduta tresloucada que foi tomada. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.




Adriana Terra
Colaboração para o UOL, de São Paulo

 erro
  • Folhapress
    Viajar para o exterior pode ficar mais caro em alguns casos
    Viajar para o exterior pode ficar mais caro em alguns casos
O novo imposto de 25% sobre o envio de dinheiro ao exterior envolvendo viagens está valendo desde o dia 1º de janeiro deste ano. A divulgação feita na última terça-feira (26) pela Receita Federal (veja na íntegra) veio seguida de uma série de dúvidas sobre o quanto o turista será afetado. Associações do setor ainda buscam um acordo com o governo para baixar a alíquota para cerca de 6%.
"O tributo já existia, mas não era cobrado pelo governo, que dava isenção para estimular o setor. Mas, com os problemas de caixa, essa é uma das medidas consideradas parte do ajuste fiscal", explica Fernando Agra, doutor em economia aplicada pela Universidade Federal de Viçosa.
A novidade causou dúvidas em grande parte da população, que entendeu que o tributo se aplicava a todo gasto que o turista fizesse em uma viagem internacional. Indo desde a reserva de hotéis até as despesas com comida.
No entanto, os maiores afetados pela medida são as agências de viagem brasileiras e quem adquire pacotes. "Como eles precisam encaminhar previamente os recursos via remessa internacional para pagar os fornecedores de hospedagem e passeios, por exemplo, acabam sendo os mais atingidos pela medida", explica Francisco Luiz Cazeiro Lopreato, professor do Instituto de Economia da Unicamp.
Mas não se anime: deve ficar ainda mais caro reservar hotéis via empresas online que cobram em reais e fazem o repasse. Apesar disso, ainda é possível viajar sem ser impactado pela tributação, especialmente se você costuma usar cartão de crédito internacional e negociar pelos serviços sem intermediários.
Para elucidar alguns pontos, o UOL reuniu abaixo dúvidas comuns que a medida gerou e, com a ajuda de especialistas, responde às questões. 
Getty Images

O preço de passagens ficará mais caro? 

A compra de passagens aéreas para o exterior não deve sofrer alteração, pois a maioria das companhias de fora que opera no Brasil tem acordos de isenção de impostos por bitributação (quando a empresa paga taxas nos dois países em que atua).
 
Inclusive, a aquisição de bilhetes de avião, trem ou ônibus para deslocamentos de um território estrangeiro a outro (via EasyJet ou Rail Europe, por exemplo) também permanece a mesma quando feita diretamente pelo viajante, por meio de cartão.
 
Trocando em miúdos: o preço das passagens, em geral, não vai aumentar por conta da nova medida.
 
Thinkstock

E o valor das hospedagens?

Depende. Se você usar uma agência online com sede no Brasil (como a Decolar, por exemplo) e escolher pagar diretamente ao hotel, não sofre efeitos do novo imposto, bem como se reservar gratuitamente pela internet e acertar o valor apenas quando chegar no estabelecimento.
 
Reservas realizadas em sites internacionais também não pagam os 25%. No entanto, se a pessoa utilizar uma agência nacional ou com sede no país como intermediária, efetuando o pagamento em reais, a diária deve sair mais salgada, pois as operadoras serão tributadas no repasse para o exterior.
 
Para quem é adepto do Airbnb, que desde o ano passado aceita pagamentos locais, a regra é a mesma: se você pagar diretamente para o exterior, via crédito ou PayPal, não há cobrança dos 25%; se pagar em real, está sujeito a valores ocasionados pelo imposto. 
 
Trocando em miúdos: apenas as hospedagens internacionais pagas no Brasil, via boleto bancário ou cartão nacional (em real), devem sofrer as consequências do tributo. 
 
Shutterstock

O que muda para quem viaja por pacotes?

O imposto provavelmente será cobrado dos clientes. Da mesma forma que as agências fazem o intermédio das hospedagens, as operadoras brasileiras que vendem pacotes terão de arcar com custos maiores para pagar seus fornecedores, podendo repassar isso, em maior ou menor grau, para o viajante.
 
"Acredito que empresas maiores podem não repassar isso para o cliente. No entanto, no caso das menores, não vejo outra alternativa que não seja repassar para o preço final", opina o economista Fernando Agra. "Se a demanda tiver muito forte eles têm maior chance de repassar", avalia Francisco Lopreato, professor da Unicamp.
 
Trocando em miúdos: quem compra pacotes para o exterior vai pagar mais caro. 
Apollofoto/Shuterstock

Compras pagas no crédito em viagens para fora serão tributadas em 25%?

Não. Gastos da rotina de viagem fora do país, sejam eles em dinheiro, cartão pré-pago de viagem ou no de crédito, não sofrem incidência dos 25% nem precisam ser declarados – com exceção dos turistas que entram no Brasil com produtos que ultrapassam o valor de US$ 500, como já ocorria antes, que estão sujeitos a um tributo-multa de 50%. Do mais, os gastos no crédito no exterior seguem com o mesmo imposto, de 6,38%.
Trocando em miúdos: gastos durante viagens fora do país não serão afetados pela tributação. 
iStock

Ao comprar dólar ou euro para viajar, pago o novo imposto?

Não. O único imposto que você segue pagando é sobre a compra de moeda estrangeira, de 0,38%.
Wikipedia

Mas e se eu comprar passeios antecipadamente pela internet, como bilhetes para o Louvre, em Paris, ou passes turísticos em Amsterdã? 

Seguindo o raciocínio já exposto, não há mudança alguma para esse tipo de compra, que costuma ser feita diretamente pelo viajante, com cartão de crédito, em uma empresa internacional. No entanto, se você comprar um desses passes vendidos por agência brasileira, pode pagar mais caro. A lógica é a mesma da venda de pacotes.
Trocando em miúdos: quem comprar passes turísticos em sites internacionais não paga o imposto; quem comprar via intermediários nacionais, paga. 
Getty Images

Aluguel de carro no exterior será afetado pelo novo tributo?

Mesma lógica dos pacotes, hospedagens e passes turísticos. Se o serviço for contratado no Brasil por uma agência que faz a  transação, cobrando em reais, o tributo será aplicado. Alugando em agências fora do país ou durante a própria viagem, não.
Yannis Behrakis/Reuters

Se precisar receber dinheiro do Brasil no meio de uma viagem, haverá cobrança do novo imposto?

Pelo que indica a nova norma, remessas envolvendo gastos de viagem que não tiverem fins educacionais, científicos, culturais, nem sejam para cobrir despesas de saúde, devem ser atingidas pela tributação. Ficam isentas as transações entre contas de mesma titularidade, informa o site da Receita.
Trocando em miúdos: o envio de dinheiro a fim de custear despesas de amigos ou parentes com turismo no exterior provavelmente será tributado. 
Getty Images

E ao recarregar o cartão pré-pago de viagem?

Neste caso não, pois o imposto sobre ele segue sendo de 6,38%.

Bertrand Guay/AFP

Intercâmbio será tributado?

Também não. Gastos com educação não vão sofrer incidência do imposto.


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Mais uma história de amor...



 Lele, 

Que delícia de relato!

Fico tão feliz em ler essas histórias de encantamento com o Tahiti. Invariavelmente me transportam para lá.

Elas também ajudam muito os marinheiros de primeira viagem. Sempre recebo e-mails de pessoas dizendo que foram motivas pelo relato de uma de vocês...

Concordo contigo que a viagem deva começar por Moorea e findar em Bora Bora. Começa-se pelo bom e finda-se no espetacular.

O Thalasso, em Bora Bora, meu eterno queridinho, é um hotel fantástico, onde me sinto em casa. Sempre parto com dor no coração.

As tuas fotos publicadas no Instagram ficaram DEMAIS! Uma mais linda que a outra. Todas constam no #tahitiehaqui.

Muito obrigada pelo carinho, pelas palavras delicadas e pela gentileza. 

Realmente, quando fui pela primeira vez, quase não havia informação na internet e tive que desbravar. Fico feliz em poder compartilhar o que há de melhor no Tahiti aqui no blog e deixar as viagens de vocês com sabor de quero mais.

Muitas alegrias na vida de vocês. Saúde, amor e paz. E claro, que possam retornar em breve àquele paraíso que está sempre guardadinho nas nossas melhores memórias.

Beijos, 

Andressa


 







Quase completando um ano da minha viagem a saudade apertou, a mente fugiu para o paraíso e eu resolvi iria relembrar minha lua de mel escrevendo este texto para vocês, em especial para a Andressa que nos ajudou muito e foi super atenciosa!!

  
Vamos lá...

Casamento marcado, festa sendo organizada e a lua de mel ali no cantinho... se der nós viajamos, mas no fundo eu sabia que seria uma super viagem afinal meu marido é um apaixonado por viagens.

Quando começamos a olhar de uma forma definitiva era Dez de 2014/ Jan de 2015, nosso casamento era Abril de 2015, o primeiro lugar que pensamos foi PRAIA e daí começou a busca... Eu queria Japão (seria época das cerejeiras) e depois Bali, Tailândia assim estaríamos associando praia com outro lugar e eu sou louca para conhecer o Japão. Enfim olhamos e todas as praias mais próximas do Japão estariam em época de Monções já desistimos de cara e neste momento meu marido falou: Amor, deixa que vou escolher o melhor lugar do mundo!!! Eu como todas as mulheres sempre duvidei dele, rsrsrsrsrsrs... Neste momento ele escreveu no santo Google: BORA BORA. Quando eu vi as fotos entrei em choque, fiquei emocionada, empolgada e quase surtando e claro que não poderia ser diferente nosso destino estava SUPER DECIDIDO!!!

Neste momento encontramos o site da Andressa O TAHITI É AQUI e começamos a ler todos os posts para saber como ir, onde ficar, quais ilhas, fazer cartão ou não fazer, ir pelo Chile, ir por L.A fomos tirando todas as dúvidas e criando outras. Mandei um email para a Andressa e na mesma hora ela respondeu com todas as informações possíveis, tirou todas as dúvidas e nos passou o contato do querido Herald. E com a ajuda da ANJA Andressa e do ANJO Herald fechamos nossa viagem... 

PASSAGEM: Escolhemos ir pelos EUA, pois a passagem estava muito mais barata, queríamos aproveitar EUA.

QUANTIDADE DE DIA: 10 dias no Tahiti.

ILHAS: 3 dias em Rangiroa, 3 dias em Moorea, 4 dias em Bora Bora.

HOTÉIS: Hotel Kia Ora Resort & Spa e InterContinental Moorea e Bora Bora
TRANSPORTE ENTRE ILHAS: Vôos internos fechados com o Herald.

CARTÃO AMBASSADOR: Não fechamos, pois o Herald conseguiu todos os benefícios do cartão através da agência dele.

PASSEIOS: Rangiroa: mergulho com cilindro, Moorea: passeio de quadriciclo pela ilha, Bora Bora: Parasailing e Piquinique no Motu.

Sei que demorei, mas agora começamos com a melhor parte, A VIAGEM:

Começo essa parte falando do vôo da Air Tahiti, gente, assim que você entra no avião você já sente o cheiro e o visual do Tahiti... todas as poltronas num tom azul da cor do mar e aeromoças e toda equipe vestido com o mesmo tom, assim que você entra ganha uma flor de baunilha que perfuma todo ambiente. Confesso que essa foi a melhor parte, pois o voo foi um pouco cansativo e passamos por uma boa parte do voo com turbulência.

Chegamos a Pappete as 5:00 da manhã e já na chegamos percebemos o clima, ambiente, pessoas, cheiro e sorrisos deste paraíso, fomos recepcionados as 5:00 da manhã por uma banda local com 2 lindas dançarinas. Passamos por todo processo de entrada no país, pegar malas e já encontramos com a funcionaria do Herald entregando todas as passagens internas e reservas do hotel além de um lindo colar de flores depois fomos tomar um café , pois nosso vôo para Rangiroa sairia 8:30. Aeroporto simples, mas super tranqüilo para ficar essas horinhas. E logo chegou a nossa hora de partir para a nossa 1ª ilha, durante o vôo fiquei preocupada pois tinha umas nuvens e em certas partes uma chuvinha, ultima coisa que queria era chegar no paraíso com chuva, mas como dizem os nativos: “this is not rain is a shower”. Assim chegamos...
 
RANGIROA:
 
É um dos maiores atóis do mundo, com uma superfície total de 1640 km², e uma lagoa de 78 km de largura com uma profundidade entre 20 e 35 m. Apenas quatro passos separam o oceano da lagoa.
Quando chegamos não tinha como acreditar o que estávamos vendo é um verdadeiro paraíso. Pelo que percebi é uma ilha pouco visitada ainda e com poucos hotéis sendo os principais Kia Ora Resort e Kia Ora Sauvage, como falei acima ficamos no Kia Ora Resort. Assim que pousamos um van com o Willy (faz tudo do Hotel) super atencioso nos esperando e fomos para o Hotel.

Assim que chegamos fomos recepcionados por um chazinho delicioso e refrescante, uma toalhinha umedecida, colares de flores e uma vista incrível. Após o procedimento de check-in fomos com o Willy para o nosso quarto, uma surpresa boa foi saber que meu marido reservou o quarto Overwater Bungalows!!!! Todas as malas já estavam no quarto e o Willy nos passou todas as informações sobre o hotel: horários do café e jantar, internet, passeios, atrações do hotel... Quando ele nos deixou eu pulei, gritei e já fomos trocando de roupa para pular aquele mar, ele estava esperando por nós...

O que posso dizer é que eu me APAIXONEI por Rangiroa, ilha linda, intocada, água quente, lugares paradisíaco vistos por passeios de caiaque, caminhada e bike, muitos, muitos e muitos peixes, fazíamos snorkel debaixo do nosso quarto e encontramos um monte de espécies, mergulho de cilindro ÚNICO. Agora eu digo que se for para Rangiroa fique no Kia Ora Resort, não conheci o Sauvage, mas o hotel é incrível com estrutura única, atendimento excelente, vários tipos de quartos, o nosso era muito espaçoso, charmoso, uma vista incrível, banheiro impecável, varanda linda e todos os mimos necessários, parte verde linda, academia, SPA, bar, restaurante ótimos agora uma pausa para as comidas... MEU DEUS! Eu e meu marido ficávamos quase 2 horas tomando café da manhã, almoço não estava incluído na meia pensão então sempre pedíamos um sanduíche com suco/refri e dividíamos, pois era bem generoso e sem falar que era muito caro (como todos deram a dica compramos muitas coisinhas em L.A para lanchar durante a nossa temporada), e a cada jantar vivíamos uma experiência única, entrada, prato principal e sobremesa de deixar com água na boca.

O que posso dizer sobre RANGIROA é NÃO DEIXE DE CONHECER!!!!

MOOREA:

Saímos de Rangiroa tristes porque foi um lugar muito especial... Chegando em Moorea o tempo estava mais triste ainda... chuva, muita chuva mesmo!!! O mesmo serviço foi realizado, a van estava nos esperando e nossa única pergunta foi está chovendo assim desde quando e o motorista disse que tinha começado naquele dia. Nosso hotel era bem longe do aeroporto, o que foi avisado pelo motorista e durante todo o caminho a chuva foi aumentando e o pânico também. No caminho fomos percebendo que Moorea era bem maior que Rangiroa e já existia uma estrutura de cidade pequena, não uma vila.

Chegamos ao hotel e percebemos que o InterContinental era gigantesco comparado ao Kia Ora (63 quartos) e que era muito mais um parecido com os hotéis/resort que existem no norte do Brasil. Chegamos e a recepção tinha umas 6 atendentes e fomos recebidos com um suco de abacaxi delicioso. Fomos encaminhados para o nosso quarto e mais uma vez ficamos no Overwater Bungalows, meu marido arrasou né!!! Logo após colocar as coisas no quarto a chuva parou e fomos passear pelo hotel, confesso que até este momento eu estava um pouco decepcionada pois Rangiroa não saia da minha cabeça, mas quando fui passeado fui percebendo o quanto a ilha e o hotel eram lindos. Tudo foi maravilhoso assim como em Rangiroa, mas confesso que Moorea não conseguiu superar Rangiroa. Fizemos o passeio de quadriciclo e foi incrível, não lembro o nome da empresa mas foi indicação do hotel e a empresa ficava bem em frente ao hotel. Passeamos por lugares incríveis e de beleza única, vale muito a pena fazer este passeio. Ah não esqueça de pedir no jantar o ceviche com arroz de coco em Moorea.

Depois de 3 dias em Moorea chegamos a conclusão que se pudéssemos teríamos ficado mais dias em Rangiroa, mas hoje acho que Moorea é tão incrível quanto é apenas diferente do que fomos recepcionados. Eu teria ido primeiro para Moorea e depois para Rangiroa.

BORA BORA

Sabe quando você imagina ou sonha com o paraíso? Não é isso... Simplesmente a palavra paraíso não consegue traduzir Bora Bora! Desde o voo, há sentamos do lado esquerdo da aeronave, confesso que meu ar parou quando avistei Bora Bora, não tem como, você consegue ver do avião que lá é diferenciado de tudo que você já viu em foto, vídeo ou pessoalmente. O aeroporto no meio do oceano já te mostra ao que veio...

A recepção com colar de flores é algo tradicional e toda despedida você recebe um colar de conchinhas, o primeiro de boas vindas e o segundo significa voltem sempre. COM CERTEZA E SE DEUS QUISER!

Aquele sorriso da nativa te recebendo com o colar, o cheiro das flores, a vista do aeroporto, os sorrisos e comentários dos turistas, o azul único do mar, tudo esta vindo na minha cabeça enquanto escrevo para vocês... Pegamos as malas e ficamos esperando o barco do hotel e quanto isso tiramos um bilhão de fotos, não demorou 10 min o barco chegou e o funcionário colocou nossas malas no barco e partimos em direção ao hotel, este caminho já é um visão de outro mundo, fomos primeiro para o InterContinental Le Moana deixar uns turistas e partimos para o InterContinental Thalasso.

Na chegada um nativo já toca uma cocha fazendo um som lindo e avisando da nossa chegada. Escolhemos o Thalasso pelo custo benefício, localização e por conta da dica da Andressa, e foi à melhor coisa que já fizemos o Thalasso ganhou meu coração no primeiro momento. Hotel incrível, lindo, chique, tranquilo, com uma estrutura que eu não tinha visto ainda!! Pegamos um carrinho de golfe e passeamos por todo hotel ontem o funcionários foi explicando o funcionamento de tudo e logo nos levou para recepção e novamente veio um chazinho, toalinha umedecida e sentamos numa mesinha na prainha da recepção com a vista mais incrível do mundo, o monte Otemanu, com um atendimento único fomos levados para o nosso quarto. No Thalasso todos os quartos são overwater bungalows a única diferença é a localização dos quartos, fechamos o esmeralda, mas com o plus que o Herald conseguiu passamos para o safira, quando entramos no quarto foi tipo MEU DEUS!!!

E ai começou os melhores dias da minha vida, gente vocês não tem noção do que é Bora Bora é o céu na terra, não tem como explicar apenas vivenciado essa experiência. Repetimos o mesmo ritual de trocar de roupa e pulamos no mar e depois fomos para o bar da praia comer e neste momento descobrimos nosso lanche, um hambúrguer delicioso com muita batata frita e com um preço ótimo. Passeamos pelo hotel e no final da tarde voltamos para o quarto para arrumar para o jantar no restaurante Reef onde também é servido o café da manhã, era dia do jantar especial que todos os hotéis fazem geralmente chamado de barbecue, onde tem apresentação de danças típicas, foi uma delicia como em todos os outros hotéis mas o Thalasso tudo era diferenciado.

Nossa rotina era acordar as 4:00 (acredite você vai dormir todos os dias muito cedo e acordar mais cedo ainda) víamos o sol nascer, curtia o sol um pouquinho com um pelo pulo no mar, depois íamos tomar café da manhã (se nos outros ficávamos 1H/1H30 no Thalasso era quase 2 horas tomando café) tudo era super gostoso e saboroso, pegávamos o snorkel íamos para  área da igrejinha, stand up, piscina, lanchava na piscina, quarto curtir, sol, mar... e de noite (18:00/19:00) íamos jantar, fique atento com a programação do hotel pois cada dia um restaurante apresentava algo legal, luau, jantar especial e é importante agendar...

Fizemos 2 passeios: o parasailing é lindo e vale a pena, e se o tempo virar não preocupe lembra: “this is not rain is a shower”, aconteceu isso com a gente era 11:00 da manhã e o passeio era as 13:00 o tempo virou e caiu uma chuva punk e ligamos para a recepção para trocar o dia e ela falou: o tempo hoje esta melhor que amanhã não se assuste, me ligue faltando 10 minutos para o passeio, a chuva não parou por nada e quando deu 12:45 o tempo abriu e o sol veio com toda força do mundo. E no nosso penúltimo dia fizemos o passeio do piquenique no motu este merece OBRIGADA MEU DEUS, fizemos o passeio através do hotel, mas o responsável pelo nosso barco foi um show a parte, acho que o nome dele era Manu, Mamu mas tenho certeza que ele foi o maior responsável por tudo que vivemos naquele dia. Nadar com as arraias, no coral e com os tubarões foi uma experiência, as músicas que o Mamu/Manu tocava no caminho e o almoço em uma ilha foi algo extremamente emocionante e divino.

Bem, acho que falei demais, mas poderia escrever muito mais... Mas tenho certeza que que esta lendo este depoimento vai ler outros e vai ficar encantado com tudo que o Tahiti pode te oferecer...

Ia orana... Tahiti

Maururu... Tahiti!!!!

Não posso terminar este post sem agradecer a Andressa por todo carinho, informações, amizade virtual, você não existe! Fazer este site e disponibilizar todas as informações é algo muito generoso sei que quando você começou o acesso era muito mais restrito e hoje as coisas são mais fáceis, mas você faz com que todas as pessoas que acessem seu site entre neste clima, amor e admiração por um paraíso que só conhecendo para saber a grandiosidade do lugar e claro que sabemos que todas as pessoas que vão voltam diferentes e com uma energia que as ligam de uma forma mágica. Maururu maururu maururu...